COLCHA DE RETALHO, RETALHOS DE UMA VIDA, CONTADAS QUADRO A QUADRO.

Hoje eu estou ainda meio sem inspiração para escrever, mas vi uma coisa que me deu algumas idéias e juntando a outras lembranças, então resolvi escrever.

Pensei hoje na minha vida como se fosse uma colcha de retalho, linda colorida, mas a cada quadro me veio uma lembrança, de uma época da minha vida:

Quando criança brincando com meus amigos e visinhos no quintal de casa ou no quintal visinho, os vários personagens da época que nos fazia viajar em cada incrível aventura.

O próximo quadro a minha pré- adolescência com minha amiga, na casa dela quando em nossas conversas e segredos guardados acho que até hoje.

E na adolescência, as festinhas e bailinhos de finais de semanas, quando geralmente nossos pais não sabiam onde estávamos na verdade, pois as vezes mentíamos, para poder ficar mais a vontade para nossas conquistas, eu estava na casa dela e ela estava na minha casa e realmente estávamos juntas na casa de outra amiga. Quem já não passou por isso.

Depois meu primeiro grande amor, quando eu achava que minha vida era um sonho pois meu coração parece que ia sair de dentro do meu peito quando ouvia a voz do meu amado, e quando sentia o seu perfume, me faltava o ar, e quando tocava minha boca com seus beijos me levava ao céu, e tudo parecia que não ia acabar e realmente a única coisa que nunca acabou foi o amor que sentia por ele, pois tudo mais não passou de uma fantasia, e se tornou impossível, sofri por muito tempo.

Ai a próxima fase foi um imensa paixão, absurda, bandida, tudo secretamente, parecia que me prendia a ela, mas que era proibida, as escondidas, pois ele não me assumia, e algum tempo depois soube porque, não era a única, então acordei e sai.

No próximo quadrado, meu porto seguro, uma amizade aparente, que virou amor, e até hoje estou vivendo esse sentimento de segurança, união, cumplicidade, companheirismo.

Meu casamento, novas expectativas, novas esperanças e objetivos , agora mais madura, e com alguém a meu lado.

Minha vida, de dona de casa, profissional, e depois mãe, tudo isso, novos desafios.

Filhos, educação, cuidados quando crianças, quando pré- adolescentes.

Novamente me lembrei daquela minha amiga de infância, mas agora eu na casa dela olhando nossos filhos brincando juntos, e nos lembrando de nossas brincadeiras de infância.

E novamente um novo desafio profissional, justamente na hora que meu marido perde um emprego.

Muitas coisas boas acontecendo, mas muito pouco tempo depois parece cair tudo barranco abaixo. Pois não pude notar na minha ânsia de vencer, o solo frágil que estava construindo um sonho.

E ai a decepção chegou na hora em que já não tinha a pessoa que me dava força ao meu lado, pois ele estava longe , estava em outro pais, do outro lado do mundo.

Então tive que encarar tudo sozinha, desfazer uma sociedade, arcar com a decepção de ter errado e de ter sido traída por amigos, e cuidar da minha família e meus filhos, diante de tudo isso.

E foi aí que me decidi sair do país e procurar refazer tudo, começar tudo de novo, e então estou aqui, mas não foi fácil.

Pois quando cheguei neste país, tive primeiro que resgatar meu casamento, e então começamos do zero, e quem já leu um pouco da minha história aqui já sabe do que estou falando.

Eu cheguei aqui para trabalhar e ajudar meu marido e nossa família, então, fiquei 1 ano trabalhando em uma cidade e nos finais de semana ia visitar meu marido em outra cidade, foi muito bom começar a namorar de novo, um olhar para o outro e enxergar coisas que muitas vezes não víamos mais, me olhar no espelho antes de sair e me maquiar para ele, e quando encontrávamos na estação era mágico, pois estávamos cheio de saudades. Incrível é que já conhecíamos a mais de vinte anos , mas parece que estávamos nos conhecendo de novo.

O outro lado foi ter filhos de novo, só que adolescentes, e conhecer de novo também, pois tinham ficado sozinhos por um ano e adquirido conhecimentos e manias e outras coisas que foi momentos da vida deles que pra nos pais foi perdidos, pois não estávamos presentes, mas quando chegaram aqui, começamos nossa vida em família, como se tudo fosse novo pra todos nos, morar juntos, dividir sonhos, expectativas, tudo isso foi mágico de novo.

Depois mais 2 anos uma doença, um problema com minha filha e ela teve que voltar sozinha ao Brasil, depois de um tratamento, uma cirurgia e quando estava bem, e ela estava namorando e algum tempo depois resolveu se casar, ficaram mais 1 ano e quando resolveram vir morar aqui, o visto dele não foi aceito, e ai ela veio só, pois eu não estava bem de saúde, assim depois de um ano eu fui ao Brasil para tratamento, e fiquei só um mês e vi que não consigo mais me acostumar La, então depois de um mês voltei e estava bem, voltei a trabalhar, e meu genro veio e ele e minha filha foram morar juntos , afinal queriam ter sua casa.

Então depois de algum tempo eles por questão de serviço, mudaram de cidade e meu filho foi junto, pois conseguiram serviço para os três na mesma empresa.

E novamente eu fiquei só com meu marido em uma casa grande, e no começo ficava meio triste, então depois de algum tempo nos começamos a nos finais de semana viajar para a cidade onde eles moravam , para visitá-los e até aprendemos viajar pra vários lugares , pois eles se mudaram novamente.

Até que meu filho ficar doente, e então teve que voltar pra casa e nos o ajudamos, pois tinha que fazer um tratamento e disseram os médicos que tinha que fazer uma cirurgia, e fiquei transtornada, por que era uma cirurgia no coração.

Mas graças a Deus até hoje tem conseguido ficar bem e não precisou fazer a tal cirurgia, mas eu também cuido da alimentação dele, e por isso tem ficado juntos, trabalha perto de casa.

Eu pulei um quadro eu acho que foi o que meu filho conheceu seu primeiro amor de verdade, que apesar da doença o deixou feliz e parece que foi esse o milagre na vida dele, pois junto com ela ele conheceu o amor de Deus, e a religião, mas o lado ruim foi que ela é uma garota muito fanática, tudo pra ela é a igreja, só fala nisso, tudo é pecado, e até que ela foi viver com um grupo de fanáticos e até por um tempo ele também foi, mas ele tinha muitas perguntas sem respostas e isso, fez com que ele se decepcionasse com esse grupo, e se separaram , ele sofreu muito , e voltou pra casa de novo, muito ferido, com o coração despedaçado pela perda, mas hoje esta forte, e bem melhor.

Já a minha filha e o marido estão juntos comigo agora também pois depois do terremoto do ano passado ficou mais difícil emprego, e eles vieram tentar aqui outra coisa.

Enfim família unida novamente, depois de muitas aventuras.

créditos:

foto tirado do site: http://blogfaniquito.blogspot.jp/2010/02/colchas-de-retalhos.html

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 754 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: